Empreendedorismo X Espiritualidade

Sobre o Empreendedorismo x a Espiritualidade

O dinheiro há milênios é o objeto proibido para a grande maioria das pessoas.

Temos nos contentado ou pelo menos aceitado e até aprovado que se deva ter só o suficiente para sobrevivermos e todos os sonhos que dependem de dinheiro ficam nas prateleiras mais altas aguardando a possibilidade, a sorte para se realizarem. As religiões, a moral comum em sua maioria, condenavam ou reprovavam aqueles que trabalharam para a conquista da riqueza financeira. Este é um dos maiores tabus da História humana.

O tema envolve todos os tipos de sentimentos, desde a inveja, a disputa muitas vezes violenta, o poder sobre o outro. Aqui estamos falando da patologia envolvendo o dinheiro e as relações com ele.

Mas estou testemunhando o surgir particularmente, no Brasil, onde estou vivendo nesse momento, um movimento pela Prosperidade e Abundância financeira, trazendo o conceito de empreendedorismo, no meu caso, digital.

Estou vendo um contingente respeitável de empreendedores de todas as idades, tendo à frente jovens de até 40 anos, liderando, guiando todos aqueles que estiverem prontos e disponíveis para aprenderem e se unirem a um grupo que já compartilha informações, trocas de ajuda para conseguir o que era um sonho.

Importante chamar a atenção para o novo conceito de Riqueza e Prosperidade, que não se refere somente à abundância financeira, mas à Prosperidade em todas as áreas de nossas vidas: antes de tudo curando os sentimentos, pensamentos e emoções de escassez e baixa autoestima, as dificuldades e sofrimentos nos relacionamentos pessoais, familiares, sociais.

Com uma notável rapidez, o que vejo e do qual participo é a mudança radical nos conceitos, sentimentos, objetivos. Você pode e tem o direito a ter o que quiser, a “perdoar a vergonha” por desejar, expressar e realizar seus desejos de ser feliz e próspero. Aliás, vejo e sinto que esta grande mudança é extensa, abrangente, total e irrestrita.

Importantíssimo!

Esta nova consciência vem acompanhada de intenso sentimento de responsabilidade por seu próprio processo o que leva à responsabilidade social como consequência, uma leva à outra!

Junto a isto se desenvolve a solidariedade em lugar da competição, pois o que vem sendo difundido nestes grupos é fundamental: há o suficiente para todos e todos no Planeta podem ser prósperos sem que isto implique em escassez para qualquer ser humano.

Para mim que trilhei o caminho da máxima capacitação pessoal e profissional, com intenso envolvimento no auto desenvolvimento espiritual, tem sido uma grande surpresa verificar, diagnosticar e tratar o que me impedia de desejar à luz do sol: a prosperidade financeira em especial.

Um sentimento misto de pudor, distanciamento e mesmo de auto proibição em níveis bastante profundos do meu inconsciente me afastaram do explicitar para mim mesma que desejava profundamente fazer o que gosto, trabalhar com o máximo prazer e também receber toda a remuneração de que me sinto merecedora, ou seja: “fazer o meu coração cantar”.

Escolhi a carreira que mais gostava, tive uma multifacetada gama de experiências na área profissional, mas mesmo assim o ganho financeiro não acompanhava esta riqueza. Só muito recentemente fui conscientizada de que por fazer o que gosto e me proporcionar tantas realizações, através de inúmeros projetos materializados com sucesso, me sentia tolhida, dizendo a mim mesma: “e você ainda quer receber ganho financeiro?”

Me vi correndo em paralelo com as minhas realizações, me auto sabotando de maneira constante, me submetendo a grandes e constantes desafios, impedindo de realizar a tão sonhada prosperidade permanente, sólida. Tudo “ia” e “vinha”, sem estabilidade. Sempre me refugiando na vida espiritual tão plena de alegrias e compensações.

Mesmo sendo uma experiente psicoterapeuta com largos anos de trabalho pessoal, não me dava conta do quanto a auto sabotagem e baixa autoestima estavam presentes me impedindo a plena realização!

Se pensamos que nas crianças o comprar e vender é tão espontâneo, quando brincam de “feirinha”, onde compram e vendem no seu imaginário, figurinhas de álbuns, brinquedos, objetos invisíveis, etc. Fabricam seu próprio dinheiro e passam horas a se divertir assim…

Meu mestre Omar Ali Shah, dizia que o comércio é a primeira das profissões e devemos aprender esta arte. Quando estive na Turquia, pude constatar o quanto é belo comprar e vender, implica no desenvolvimento de uma relação onde as duas partes ganham, caso contrário não há venda. O comércio de tapetes é realmente belíssimo e envolve muitas horas e até mesmo dias até que a venda se realize.

Assistindo nestes dias ao vídeo baseado no livro “Conversando com Deus” de Neale Donald Walsch, ele diz durante uma palestra para um grande público:

“Para Deus não há divisão entre abundância financeira e espiritualidade. De fato elas andam juntas, não acham estranho vivermos numa sociedade que desvaloriza as coisas mais importantes? … Não sei porque achamos que pessoas envolvidas com a espiritualidade devam ser pobres, celibatárias e abstinentes? Melhor ainda que sejam os três!!”  

Me lembro também das palavras de meu querido amigo, Rafael Vergara, um brilhante médico psiquiatra, psicoterapeuta, que dizia:

“É mais fácil uma pessoa não muito espiritualizada passar a sê-lo, que uma pessoa espiritualizada resolver sua vida financeira”.

Estou convencida e de acordo com as palavras de André Lima, um jovem empreendedor e um dos precursores da EFT (Emotional Freedom Techniques) no Brasil: “A escassez é um mito”.

Realmente estamos vivendo o pleno despertar da consciência, o vir à Luz todas as verdades e o total respeito ao livre arbítrio de cada um de nós neste momento do Planeta.

Todos podemos já viver de acordo com nossas escolhas sejam elas quais forem.

Podemos já atrair aquilo em que colocamos nossa intenção, o nosso sentimento, a aí é preciso atenção, para que os conflitos interno, o inconsciente não nos faça surpresas desagradáveis, nos conduzindo para aquilo que não desejamos.

Qual é a sua escolha?

Regina de Toledo
Regina de Toledo
Psicóloga Clinica – Analista reichiana Com um longo percurso de trabalho pessoal e interior. Com uma longa experiência de vida na Itália e Brasil Com diferentes experiências e projetos realizados na área de Psicologia clinica e de Prevenção de neuroses em crianças pequenas Consultora para revistas/jornais Palestrante sobre temas de Psicologia Autora de artigos para jornais Autora do livro “Diário de uma viagem entre o Céu e a tera (Eu e Bello)”